Arquivo

Archive for 10/05/2017

Regras Propostas Para a Vida Diária

Carl Sagan, no capítulo 16 (“As Regras do Jogo”) do livro Bilhões e Bilhões, elenca regras que regem a vida diária:

1. Regra de Ouro: “faz aos outros o que desejas que te façam”.

2. Regra de Prata: “não faças aos outros o que não desejas que te façam”.

3. Regra de Bronze: “faz aos outros o que te fazem”.

4. Regra de Ferro: “faz aos outros o que quiseres, antes que te façam o mesmo”.

5. Regra “Tit-for-Tar”: “coopera com os outros primeiro, depois faz aos outros o que te fazem”.

A proposição de regras que condensam comportamentos não ajuda a lidar com a complexidade dos relacionamentos humanos. Bruce Lee, em sua “filosofia marcial”, dizia que temos que nos adaptar aos adversários e não atacá-los ou nos defendermos de uma forma padronizada, assim como a água que se adapta ao recipiente que preenche: “Não tenha formato, contornos…seja água, meu amigo”, dizia ele.

É impossível adotarmos uma daquelas regras como filosofia de vida. As regras “douradas”, assim como as regras de “latão banhado”, implodem com o tempo: é impossível ser 100% bom em 100% das ocasiões ou totalmente espertalhão em todas as ocasiões. Comportamentos extremistas obviamente não se sustentam.

Estou convencido de que é necessário levar em conta o contexto e as próprias pessoas com quem nos relacionamos para encontrar a melhor forma de agir. Talvez possamos começar sendo cordiais até que “mudanças ambientais” forcem nossa mudança de atitude.

Ainda assim, sem me contradizer, não acho que exista uma situação em que ser espertalhão ou malicioso seja uma opção. Isso não é por causa de alguma religião ou falso moralismo. O esperto, trambiqueiro e oportunista fica sem ambiente para trabalhar, pois cria inimizades e acaba sendo vítima do próprio veneno. Quem tem esse perfil sempre se arrisca a infringir leis e regras de convivência em grupo (ética). Mais cedo ou mais tarde terá que pagar por suas escolhas.

Anúncios
Categorias:Atitude