Início > Atitude > Aforismos em Defesa da Liberdade

Aforismos em Defesa da Liberdade

O Instituto Mises publicou um artigo bastante interessante com alguns aforismos relacionados a defesa da liberdade:

  • Governos representam seus cidadãos da mesma maneira que parasitas representam seus hospedeiros. Empreendedores ganham dinheiro servindo necessitados. Políticos ganham dinheiro criando necessitados.
  • Um empreendedor pode se chamar a si próprio de chefe, mas seu objetivo é servir os outros. Um político pode se chamar a si próprio de servidor, mas seu objetivo é mandar nos outros.
  • Um tolo deplora o fato de que a automação destrói empregos. Um sábio se deleita com o fato de que ela torna o trabalho menos automático.
  • Acreditar que a mão-de-obra barata irá “roubar” o seu emprego é a confissão mais avassaladoramente honesta de incompetência profissional.
  • É necessário ser um criminoso comum para se roubar o dinheiro dos outros, mas é necessário ser um criminoso excepcional para chamar esse ato de “justiça social”.
  • A ignorância econômica leva à crença de que computadores podem desenhar mercados. O conhecimento econômico leva à constatação de que mercados podem desenhar computadores.
  • Um tolo acredita que o mercado faz com que a busca pelo lucro leve a atitudes desonestas. Uma pessoa sensata sabe que o mercado torna a desonestidade anti-lucrativa.
  • Um bom economista acredita que os mais bem capacitados para lidar com o problema da escassez são os empreendedores. Um mau economista acredita que são os economistas.
  • Um bom economista acredita que sua função é melhorar o entendimento das pessoas sobre o funcionamento do mercado. Um mau economista acredita que sua função é melhorar o entendimento do mercado sobre o funcionamento das pessoas.
  • Um mau economista acredita que o poder de compra dos salários pode ser legislado. Um bom economista sabe que legislações podem ser compradas.
  • Um mau economista acredita saber o que fazer para tornar o mundo mais próspero. Um bom economista acredita saber o que fazer para permitir que o próprio mundo se torne mais próspero.
  • Um tolo acredita em desenhar organizacionalmente o mercado. Uma pessoa sensata acredita em um mercado para desenhos organizacionais.
  • Um empreendedor é aquele que vê um ganho em uma troca na qual outros vêem apenas uma permuta.
  • É necessária uma pequena dose de abstração para entender como a ambição pode levar à prosperidade. É necessária uma alta dose de autoengano para alegar que a coerção pode levar à caridade.
  • Um escravo acredita que as leis devem definir a abrangência da liberdade. Um indivíduo livre acredita que a liberdade deve definir a abrangência das leis.
  • A sociedade é um esquema voluntário de benefícios mútuos. O estado é um esquema compulsório de explorações mútuas.
  • Alegar que alguém pode ser feliz sem ser livre é não ter a mais mínima ideia sobre o significado de felicidade.
  • A política é uma guerra sem fim e sem limites contra a liberdade individual.
  • Eis aquele que talvez seja o mais flagrante exemplo da superficialidade da mentalidade estatista: o típico estatista acredita que a ameaça fantasticamente hipotética de uma empresa monopolizar a distribuição de água representa uma objeção devastadora ao libertarianismo; já a ameaça dolorosamente real de um estado metodicamente exterminar centenas de milhões de indivíduos não representa uma objeção devastadora ao estatismo.
  • Um ambientalista tolo quer proteger a natureza da ganância do mercado entregando-a à tragédia dos comuns. Um ambientalista inteligente quer proteger a natureza da tragédia dos comuns entregando-a à ganância do mercado.
  • O único “bem público” que existe é a liberdade do público para buscar bens individuais.
  • “Lucro garantido” faz tanto sentido quanto “perigo sem risco”.
  • Paciência é a capacidade de saber usufruir a tranquilidade do tédio.
  • Um anarcocapitalista é uma pessoa que rejeita a curiosa noção de que crimes se transformam em virtudes caso sejam efetuados em escala maciça pelo estado.
  • Um mau economista acredita que os preços devem ser policiados pelo estado. Um bom economista acredita que os serviços policiais devem ser precificados pelo mercado.
  • O abolicionismo foi um movimento para acabar com a escravidão privada. O libertarianismo é um movimento para acabar com escravidão pública e privada.
  • Se você acredita que “o dinheiro que aquele bilionário gastou em sua frota de iates poderia ser muito mais bem utilizado pelo estado!”, apenas me diga quando foi a última vez que você viu um bilionário comprando um exército de tanques e um conjunto de bombas nucleares.
Anúncios
Categorias:Atitude Tags:, ,
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: